quarta-feira, 16 de novembro de 2016

José Maria Moreira do Bonfim



Minha Homenagem ao Mestre José Maria Moreira do Bonfim, patrono da cadeira Nº 33 da Academia de Letras de Crateús, ocupada por mim (Professora Lindalva F Carvalho e Machado)

José Maria Moreira do Bonfim nasceu em Crateús, no dia 16 de novembro de 1911, filho de Manoel Moreira do Bonfim e de Maria Teodora Bonfim. Foi o primeiro crateuense ilustre nascido neste município logo após sua elevação a categoria de cidade, fato histórico que marca a data de 15 de novembro de 1911.
Desde cedo, o pequeno José Maria já demonstrava vocação para o sacerdócio, fato que não passou despercebido pelos astuciosos olhos de Dom José Tupinambá da Frota, Bispo Diocesano de Sobral que incentivou o mesmo a ingressar no seminário, fato que se realizou em julho de 1929.
No Seminário Diocesano de Sobral, José Maria fez curso preparatório para a carreira eclesiástica e em 1934 ingressou no Seminário Maior da Arquidiocese de Fortaleza, conhecido como Seminário da Prainha, ordenando-se no dia 26 de novembro de 1939. Depois que recebeu a ordem, celebrou sua primeira missa na Igreja Matriz do Senhor do Bonfim em Crateús e tornou-se Vigário Cooperador da Paróquia de Sobral durante os anos de 1940 e 1941. Em 1942 foi nomeado Vigário da Paróquia de Massapê, cargo oferecido por Dom José, como reconhecimento pelo excelente trabalho desenvolvido pelo sacerdote na organização do Congresso Eucarístico Diocesano de 29 de junho de 1941. O jovem padre permaneceu em Massapê até 1943 e no dia 1° de janeiro de 1944, assumiu as funções de Vigário de Crateús, onde atuou até 18 de abril de 1969.
Em Crateús, comprou a Escola Normal Rural; fundou o Patronato Senhor do Bonfim e o Ginásio Pio XII; construiu a Maternidade das Senhoras de Caridade e o Salão Paroquial; ampliou as instalações do Cemitério São Miguel; iniciou a construção da Igreja de São Francisco e reformou várias capelas; realizou diversas reformas na igreja Matriz fazendo-a crescer no sentido da Rua Carlos Rolim, dando ao templo o formato de cruz, depois, empenhou-se na criação e instalação da Diocese de Crateús.
Em janeiro de 1965, recebeu de Dom Fragoso o título de Monsenhor. No entanto, surgiram muitas divergências entre os conceitos conservadores do vigário e as ideias liberais do Bispo. Foram muitas as dissensões entre Dom Fragoso e o Padre Bonfim, de forma que foi deposto do sacerdócio no dia 18 de abril de 1969.
José Maria casou-se no dia 09 de dezembro de 1975 com Joaninha Azevedo do Bonfim. José Maria Moreira do Bonfim escreveu muitas páginas sobre a História de Crateús, escritos que deram origem ao livro “História da Paróquia de Crateús: uma visão de longa caminhada” que foi publicado pela Editora e Gráfica Qualygraf em 2003 como obra póstuma. Padre Bonfim faleceu no dia 16 de novembro de 1994, ao completar 83 anos de idade.
Professora/escritora  Lindalva F Carvalho e Machado

Um comentário:

  1. Me lembro das "turras" entre Dom Fragoso e o Padre Bomfim, pelos finais dos anos 60. Foi uma pena, pelos atos de grande empreendedorismo do Padre Bomfim, e pareceu, na época, uma "cortina de fumaça" a obscurecer-lhe tanto esforço movido pelo bem da região! Uma homenagem justíssima para quem tanto significou, não só para as letras, mas para um tempo de "tomada de decisões" que deveriam ser tomadas, e que tanto impactaram na vida da cidade.

    ResponderExcluir