Páginas

segunda-feira, 5 de julho de 2010

PATRONOS DA ALC - MEMORIAL

Maria Gláucia Menezes Teixeira Albuquerque

No dia 29 de março de 1953, em um Domingo de Ramos, na cidade de Crateús à Rua Frei Vidal da Penha 1500, as 14:30h nascia uma linda menina, a oitava, de uma prole de onze filhos de Raimundo Candido Teixeira e Maria Delite Menezes Teixeira.

O ano 1953 foi marcado por grandes transições políticas para a queda de Getúlio Vargas. Dr. Juscelino Kubitschek fazia política em Minas Gerais e seria em seguida o novo Presidente da República. O Ceará era governado por Raul Barbosa e administrava Crateús o Prefeito João Afonso de Almeida Vale.

Começava a grande aventura da televisão com a TV Tupi e o Brasil era o 4º País a ter esta inovação, sendo até então o rádio – a grande diversão nacional – preterido lentamente pela TV. Era essa a realidade do início da década de 1950.

No dia 19 de abril às 8:00h a menina foi batizada pelo Pe. Tupinambá Melo na Matriz do Senhor do Bonfim recebendo o nome de Maria Gláucia e tendo por padrinhos os tios que moravam em São Paulo, Milton Evaristo e Marinete Menezes, irmã de sua genitora. Os padrinhos foram representados por seu avô Júlio Facundo e Adonor Melo Lima e era vigário da Paróquia de Crateús o inesquecível Pe. Bonfim.

Maria Gláucia sendo uma das filhas mais novas e tendo ficado órfã de pai aos 10 anos, apegou-se de forma especial à sua mãe, transformando-a em sua melhor amiga e por ela sempre demonstrou grande afeição. Era uma menina doce, fina, amável e atenciosa para com todos, mas com a mãe o tratamento era excepcional, causava admiração.

Fez o Curso Primário, hoje, Fundamental no Externato Nossa Senhora de Fátima, escola de sua mãe, onde anos depois exerceu o cargo de Diretora Pedagógica. Aos 16 anos, incentivada por sua mãe, alfabetizou um grupo de operários da REFESA em Crateús, tornando-se assim Professora, muito cedo. Daí então não parou mais de lecionar e exerceu esta atividade em várias séries do ensino fundamental desta conceituada escola.

Professora vocacionada como sua mãe e irmãs, possuía a competência e habilidades naturais e aperfeiçoadas de uma exímia educadora. Exerceu a atividade de Professora no Externato até mudar-se para Fortaleza em 1974 para cursar ensino superior. Mesmo residindo em Fortaleza voltava sistematicamente a Crateús para diligências pedagógicas, mantendo-se na direção e administração desta escola – a escola da dona Delite, de 1979 a 1986.

De 1974 a 1978 lecionou na Escola de 1º Grau Eudoro Correia e Complexo Escolar Antonieta Siqueira, como Professora Polivalente, em Fortaleza. Mais tarde foi transferida destes Colégios para o Colégio Estadual Liceu do Ceará , ensinando Técnicas Industriais e Administração de Empresas no nível médio, até 1980. Período que também lecionou na Escola de 2º Grau Adauto Bezerra.

Foi Assessora Técnica em Educação no Município de Maracanaú, de 1997 a 1998. Lecionou no Curso de Pedagogia da Faculdade Integrada Christus, de 1998 a 1999, assim como na Faculdade FIC, na Universidade do Vale do Acaraú, na Faculdade Farias Brito ministrando disciplinas em Cursos de Especialização.

Em 1997 passou a ser Professora da UECE, quando ingressou no Departamento de Fundamentos da Educação do Curso de Pedagogia da UECE pelo Programa de Bolsa de Transferência Tecnológica da FUNCAP. A partir do ano 2000, após aprovação no processo de seleção passou a ser professora substituta. Em 2003 foi admitida através da Portaria Nº 0103/2003, para o cargo de Professor Assistente Nível V, do Grupo Ocupacional Magistério Superior, lotada no Centro de Educação, em regime de 40h semanais de trabalho, com dedicação exclusiva. Teve ascensão funcional para Professor Adjunto, Nível IX.

Maria Gláucia era pesquisadora da UECE, investigava a gestão do Projeto Educativo das Escolas de Ensino Médio no Ceará, em face de políticas e práticas modernizantes. Sondava a gestão educacional como ferramenta propulsora da efetivação das mudanças propostas pelo projeto político, assim como a adoção de teorias e práticas no sistema educacional influenciadas por experiências de organização da estrutura produtiva e instâncias empresariais. Investigava formas de democratização, participação, descentralização e a qualidade das escolas. Questionava os desdobramentos operados na escola na década de 1990, em função das propostas de modernização da gestão escolar, mediante processo de planejamento, da dinâmica institucional e interinstitucional da escola pública de ensino médio. Examinava conteúdos e fundamentos das diretrizes norteadoras da gestão escolar, da dinâmica institucional nos processos de planejamento das dimensões: pedagógica e financeira.

Sua pesquisa envolvia alunos de Graduação e Mestrado acadêmico em Educação. Trabalhavam na sua equipe os colegas: José Eudes Baima Bezerra, Francisco Carlos Araújo Albuquerque e Jeannette Filomeno Ramos.

Grande pesquisadora, uma investigadora científica. Era membro da ANPED desde 1997, participou de 10 bancas de mestrado e 6 qualificações de doutorado.
Integrante do Grupo EDUCAS, coordenava um Projeto de Pesquisa recém aprovado pelo Edital Universal do CNPq, mas não teve tempo de aplicar os recursos financeiros disponibilizados pelo Conselho Nacional de Pesquisa para suas investigações, tendo sido devolvido este recurso financeiro.

Seu crescimento pessoal e pedagógico parou em dezembro de 2008, pelo desígnio de Deus quando fez seu retorno à Casa do Pai. Faleceu em 30 de dezembro de 2008, mas sua dedicação ao Ensino Público de boa qualidade a fará imortal nos livros, nas escolas por onde passou e no Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará.

Maria Gláucia era casada com o Engenheiro Dr. Bismark Albuquerque Filho e deixou duas lindas filhas: Ingrid Menezes Albuquerque (22 anos) e Érika Menezes Albuquerque (20 anos), ambas universitárias.

Escreveu os seguintes livros
Política e Gestão Educacional: contextos e práticas. Fortaleza: Ed.UECE, 2008.
Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.
Política e Planejamento Educacional. Fortaleza: Edições demócrito Rocha, 2002.

Assim como Capítulos de livros tais como

Albuquerque, M.G.M.T.; Farias, Isabel Sabino – A educação para a juventude na perspectiva dos usuários do PROJOVEM em Caucaia-Ce. In: Educação Básica Contemporânea: Política, Planejamento e gestão. 1ª ed. Fortaleza: Ed UECE, 2008.
Albuquerque, M.G.M.T.; Farias, Isabel Sabino – A educação para a juventude na perspectiva dos usuários do PROJOVEM em Caucaia-Ce. In : Política e gestão educacional: contextos e praticas. 1ª ed . Fortaleza: ed. UECE, 2008.
Albuquerque, M.G.M.T. – O lugar da escola no planejamento educacional: contextos e conceitos necessários a formação docente. In :Formação e prática docente Ed. Fortaleza: Ed. UECE, 2007.
Albuquerque, M.G.M.T.- Para aprender a aprender In: Educação: olhares e saberes. 1ª Ed. Fortaleza : Edições Demócrito Rocha, 2001










2 comentários:

  1. Li a História da Caminhada da Professora Gláucia com lágrimas nos olhos,pois tive a felicidade de conhecê-la na UECE,quando coordenei o Progestão. Ela, juntamente com as Professoras Sofia Lerche e Eloiza Vida - foram coordenadoras do referido Programa de Formação dos Gestores das Escolas Estaduais do Ceará.

    Ela era uma pessoa dotada de uma diplomacia nata - acolhedora com uma alegria ínfima - foi uma pessoa Magnânima por Excelência.

    Glaucia era uma pessoa iluminada por Deus. E, com a Gráça de Deus deve estar e será eternamente feliz e, ilunando todos neste mundo e em todo o universo.

    Fraternalmente!

    Marlene Bezerra

    Crateús-CE, 24/08/2010.

    ResponderExcluir
  2. Apesar dos merecidos elogios à profissional incrível que foi, nada comparado ao papel de mãe que exerceu. Presença insubstituível. Saudade imensurável.

    Beijo enorme, minha mãe querida.
    Ingrid

    ResponderExcluir